Estes são os Progress Makers

Eles têm ideias e estão fazendo do mundo um lugar cada vez melhor. Todos os dias.

Mas para isso, só precisam de alguém que acredite com eles. E se um banco fizesse disso seu maior objetivo?

COOXUPÉ

A Cooxupé é a maior cooperativa de café do Brasil. Seus mais de 14.000 produtores rurais ajudam a construir a fama do café brasileiro mundo a fora e exportam para 48 países.

Juntos, seus cooperados recebem suporte técnico e financiamento para acessar mercados que não alcançariam sozinhos.

A parceria do Citi com a Cooxupé já tem 32 anos e ajuda a transformar café em progresso de verdade.

É muito emocionante pra mim quando viajo o mundo, e enxergo lá a marca Cooxupé, fruto de um trabalho que se inicia com pessoas muito humildes, muito simples. E o Citi passa a ser integrante dessa imagem que a cooperativa ganhou. Então eu diria, o Citi é o grande parceiro.

Carlos Augusto, Vice - Presidente da Cooxupé

RAÍZEN

Mais de 60% da energia elétrica gerada no Brasil vem de fontes hídricas. Por isso, em tempos de seca, se torna evidente a necessidade de fontes alternativas.

Dentre elas, se destaca a bioenergia, fonte limpa e renovável que tem seu pico de produção justamente no período mais seco do ano. E a Raízen, maior produtora do Brasil, é capaz de abastecer uma cidade de até 10 milhões de pessoas, tudo isso reaproveitando o bagaço da cana-de-açúcar.

Esse ciclo é totalmente sustentável e muda a vida de muita gente. Todos ganham com isso, principalmente as novas gerações. O Heitor, por exemplo, tem luz dentro da sala de aula e pode perseguir seu sonho de ser paleontólogo.

O Citi acredita no Brasil e em projetos assim, por isso é parceiro da Raízen desde a sua fundação, lado a lado, promovendo o progresso do país. Afinal de contas, não existe progresso sem energia, nem progresso sem parceria.

O apoio do Citi foi fundamental para atingirmos o nosso objetivo de tornar o Brasil e o mundo melhores, a partir de uma energia limpa e renovável. O Citi é um importante parceiro da Raízen.

Luis Henrique Guimarães, Presidente da Raízen

FIBRIA

O Brasil é um país de proporções continentais e o seu desenvolvimento ocorre prioritariamente nas grandes cidades. A população que vive nas regiões afastadas dos grandes centros tem poucas oportunidades de acesso à educação, ao trabalho e à saúde.

A Fibria, empresa líder mundial em celulose, tem como filosofia o modelo de valor compartilhado. O método gera negócios de forma sustentável, com foco no desenvolvimento da região em que atua.

Em parceria com o Citi, a empresa investe nas regiões mais afastadas dos grandes centros, trazendo progresso e desenvolvimento para essas cidades e seus habitantes.

Em 2009, por exemplo, faltava muita coisa na cidade de Três Lagoas (MS). Quando a Fibria se instalou, iniciou um movimento que dura até hoje, atraindo outras empresas, gerando mais emprego e renda.

Hoje, a Fibria emprega direta e indiretamente mais de 10 mil pessoas. O investimento continua com a implementação de projetos como o PDRT (Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial), que capacita agricultores familiares, organizados em associações, para desenvolver cultivos diversos e criação de pequenos animais, contribuindo para incrementar a renda das famílias.

Citi e Fibria ajudaram a transformar Três Lagoas na Terceira maior cidade de Mato Grosso do Sul. E vem mais por aí com a construção da segunda fábrica da Fibria na região, que vai gerar ainda mais empregos e avanços.

O Citi acredita em grandes ideias, principalmente quando elas buscam o progresso de uma região como Três Lagoas.

A parceria que nós temos com o Citi é fundamental para que a gente continue desenvolvendo o país e trazendo progresso.

Marcelo Castelli, Presidente da Fibria

ZEMA

No estado de Minas Gerais, em média, apenas 50% da população tem acesso à computadores, 53% à máquinas de lavar e 57% a telefones celulares. As pequenas cidades, no interior do estado têm índices muito menores, pois o acesso a bens de consumo em suas próprias cidades é muitas vezes inexistente.

Infelizmente, isso favorece o subdesenvolvimento socioeconômico nessas regiões, em que as grandes empresas não têm interesse de atuar devido ao pequeno tamanho do mercado e os altos custos de transporte e da operação.

O Grupo Zema surgiu com o objetivo de mudar essa realidade. Fundada em 1923 por um imigrante italiano em Araxá, no interior de Minas Gerais, a primeira loja do que um dia seria o Grupo Zema começou a prosperar graças a uma relação de amizade e confiança com a população local.

Com foco em cidades com até 50 mil habitantes, a EletroZema, consagrou suas atividades com uma oferta de eletrodomésticos e bens de consumo acessíveis para população de baixa renda das cidades do interior de Minas. E com o sucesso, veio também a missão de devolver este progresso para a região através da geração de empregos e capacitação profissional da mão-de-obra local.

Nessa história, o Grupo Zema encontrou no Citi todo o apoio e experiência para alcançar seus objetivos. O Citi financia o grupo Zema através de linhas de crédito de longo e curto prazo, destinados para fomentar seu capital de giro e investimentos que são essenciais para o grupo, além de serviços financeiros de pagamentos diários das contas a pagar, auxiliando ainda na gestão do caixa disponível da companhia com aplicações financeiras.

A parceria entre o Citi e o Grupo Zema permitiu que a empresa se expandisse para mais de 500 cidades pequenas, dando ao povo do interior de Minas o acesso inédito à bens de consumo e gerando mais de 7.500 empregos fixos de carteira assinada.

Mas essa história de progresso não para por aí. Graças ao suporte do Citi, o Grupo Zema conseguiu destinar parte de seus recursos para fundação da UniZema, uma faculdade corporativa que oferece ensino profissionalizante gratuito para centenas de futuros funcionários: de atendentes a gerentes.

Há mais de 200 anos, o Citi acredita em ideias que mudaram e ainda vão mudar o mundo. E hoje, tem orgulho de estar contribuindo junto com o Grupo Zema para que o povo do interior do Brasil conquiste um futuro cada vez melhor.

Eu vejo que essa nossa parceria com o Citi ajuda no progresso, e com toda certeza estamos contribuindo para desenvolver o interior do Brasil.

Romeu Zema, Presidente Grupo Zema

PIRACANJUBA

Segundo o último Censo Agropecuário do IBGE, a agricultura familiar é responsável por mais de 80% da produção rural nacional.

Embora na última década a produção brasileira de laticínios tenha aumentado 54,7%, em grande parte pelos avanços tecnológicos no campo, 55% dos pequenos produtores rurais brasileiros abandonaram seus negócios devido aos altos custos de mão-de-obra e produção.

Em um mercado cada vez mais competitivo, a relação entre volume e qualidade estabelece o preço de compra do leite e seus derivados. Os pequenos produtores que não conseguem produzir em grande escala acabam tendo prejuízo e muitas vezes são forçados à desistirem de suas atividades e mudarem para as grandes cidades. Em 2006, havia 930 mil pequenos produtores e hoje são menos de 415 mil.

A Piracanjuba, um dos cinco maiores produtores de laticínios do país, queria um modelo de negócios em que 30% dos insumos viessem exclusivamente dos pequenos produtores locais, garantindo a continuidade deste tipo de negócio familiar e gerando mais oportunidades e empregos para todos os envolvidos na cadeia produtiva.

Com a crença de que o verdadeiro progresso é fruto do crescimento socioeconômico, o Citi apoiou a Piracanjuba com sua experiência global, ajudando na expansão dos seus negócios através da solução de “Adiantamento ao Fornecedor”.

O Citi movimenta a cadeia produtiva, antecipando recursos para os produtores de leite, permitindo que a Piracanjuba negocie melhor seus prazos junto aos seus fornecedores, reduzindo seus custos de compras e, principalmente, garantindo maior capital de giro aos produtores.

Ao invés de adquirir as pequenas propriedades ao redor de sua fazenda e expandir sua propriedade, a Piracanjuba optou por investir seus recursos na capacitação técnica e profissional de toda a cadeia produtiva local. Isso permitiu que os pequenos produtores aumentassem a competitividade e qualidade de seus produtos e permanecessem na região. No longo prazo, esse ensino técnico tem como objetivo alcançar toda a família do pequeno produtor rural, garantindo a continuidade do negócio e retenção da mão de obra para as gerações futuras.

A parceria entre o Citi e a Piracanjuba já criou um futuro melhor para mais de 5 mil produtores e suas comunidades, através de investimentos na profissionalização de toda a cadeia de produção familiar local. Hoje, os pequenos produtores tem sua produção 100% adquirida pela Piracanjuba compondo a maior produção de laticínios sem lactose do Brasil.

Há mais de 200 anos, o Citi acredita em ideias que mudaram e ainda vão mudar o mundo. E hoje, tem orgulho de ser parceiro da Piracanjuba apoiando seu projeto para cultivar um futuro melhor para as próximas gerações.